Oi, Desblogadxs!

Maaaaaaaanas, muita coisa pra contar!

Então puxa uma cadeira e senta, porque o babado foi forte.

Vi que meu ultimo post foi dia 21 de agosto.

Exatamente três dias depois eu fui encaminhada pro Hospital São João para urgência de psiquiatria. O diagnóstico foi depressão, um susto para amigos e família, mas pra falar a verdade, não foi pra mim. As médicas que me atenderam acreditam que eu deixei de produzir serotonina por viver exausta do trabalho, o qual eu trabalhava 12 horas e sem pausa.

Junto a isso uma crise de relacionamento com o João.

No dia 25 de agosto comecei a tomar a medicação o qual vai me acompanhar por um ano. Na semana seguinte entrei de férias e dia 09.09 fui pra Espanha pro nosso famigerado Caminho de Santiago. Voltei revigorada (ainda vou mostrar pra vocês as fotos no próximo post).  É difícil saber se foi o remédio que passou a fazer efeito, ou se foi a viagem que me ajudou. A minha mãe é maravilhosa e acreditada muito na questão energética da viagem.

Eu encontrei um porco selvagem no meio do caminho do primeiro dia, sim, um javali. Ele estava sozinho e não aparentava ser adulto, mesmo assim me peidei de medo né, mana. Fiquei parada, virei calmamente de costa e fiquei olhando pro céu, nisso eu percebi que ele foi pro mato se esconder de mim quando ele parou atrás de umas plantinhas que ele jurava que tava escondido, fui andando bem devagar, sem olhar pra ele, e quando passei de onde ele tava corri eternamente sem olhar pra trás.

  • Minha interpretação: quase morri sendo atacada por um javali no meio do mato sozinha, escapei dessa, obrigada vida.
  • Interpretação da minha mãe: o javali é um monstro que estava dentro de mim, que eu externei através daquele animal, e aquele momento foi quando eu deixei a depressão pra trás, pronta para colher as melhores experiências em diante na viagem e na minha vida.

Claro que meus amigos vão pela razão e todos concordam com minha mãe hahaha.

Enfim, vai ser algo que nunca vou saber, se foi o remédio que fazia efeito depois de 15 dias, se foi a viagem, ou o javali, mas a viagem foi muito proveitosa, conheci muitas pessoas, ri muito, enfrentei medos (do escuro). Comi, ouvi histórias, ri com pessoas que nunca tinha visto antes na vida.

Percebi que a gente, por causa do capitalismo, ignoramos nosso corpo, nossa mente, nossas vontades.

Decidi que não vou mais me maltratar por nada. O sistema não me retribui aquilo que eu me sacrificava por ele.

Desde setembro eu venho compartilhando comigo momentos felizes, alegres, prazerosos, e tudo que me deixa triste, estou deixando passar.

Estou construindo e entrando em novos projetos, esperando como retorno sorrisos. Claro que não me isolei do mundo e ainda preciso participar do sistema capitalista, mas agora trabalho 4h pra esse sistema, e usufruo do meu direito de 12 minutos de pausa. Não vou me atropelar, vou me respeitar.

A gente as vezes coloca um monte de prioridades na nossa frente que não obedece a perceber se você é e está feliz.

Agora estou.

E estamos de volta com a Desblogada de sempre.  Amo a companhia de vocês.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *